domingo, 13 de novembro de 2011

O poeta Humberto de Campos

O poeta Humberto de Campos

Rogel Samuel

Conta no “Diário secreto” Humberto de Campos que seu projeto de vida literária era outro, ele sonhava em realizar uma obra poética e crítica, vasta e uniforme, cujas bases foram fundadas pelo seu livro “Poeira” que tanto sucesso alcançou no Brasil e em Portugal.
Mas as obrigações da família o fizeram dedicar-se à imprensa, onde ele passou a escrever os contos e crônicas, miúdas e humorísticas, e que o popularizaram e que foram publicados em vários livros de alta vendagem, dando-lhe dinheiro e fama, fazendo-o deputado e membro da Academia.
Se ele tivesse ficado com seu versos e ensaios não teria conseguido ser o escritor mais lido do Brasil de seu tempo.
O mesmo aconteceu com Coelho Neto, que queria ser historiador e não jornalista, contista, cronista e depois romancista, tendo de escrever mais de 100 livros para ganhar a vida.
NOTA: Na foto o edifício do Largo do Machado (n. 21) morou Humberto de Campos no fim da vida. Chamava-se na época "Palácio Rosa". O escritor morreu em 1934, num hospital. Foto de R. Samuel, via celular.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

NOVA EDIÇÃO